14 de março de 2016

Vizinho novo


Imagem/Monica Maeda
Um costume interessante e polido eu diria, em se tratando de japoneses tudo tem que ser na polidez para cada um ficar no seu quadrado.

Quando nos mudamos seja de casa ou apartamento uma das coisas polidas mas hoje não tão comum entre os jovens japoneses  é o de se apresentar a vizinhança e também dar alguma lembrança, uma toalhinha, doces ou chá. Os mais jovens não fazem com tanta frequência. Isto significa que eu sou o fulano de tal, a partir de hoje serei o teu vizinho então espero contar com a tua colaboração no tocante ao quadrado de cada um.


Como se apresentar aos seus novos vizinhos


O morador novo da rua da casa do meu sogro veio se apresentar e trouxe este doce, para falar a verdade não tinha um mas era uma caixa com 6, porque presumimos que toda a família vai degustar. Vizinhos japoneses não costumam ser barulhentos, e quando o são a vizinhança toda o discrimina e ai ele se torna a ovelha negra do bairro, até mesmo churrasco quando algum corajoso faz ele antes pede desculpas ao vizinho do lado pela fumaça ou cheiro forte e então para agradar ele leva um pedaço da carne. Dá trabalho ser educado aqui.

Eu quando mudei também fiz o mesmo e como a minha vizinha do andar de baixo era uma senhora de 80 anos e morava sozinha  falei então que caso ela precisasse de algo ou até mesmo ir ao mercado eu poderia levá-la no meu dia de folga, ou caso quisesse que eu trouxesse algo pesado da rua poderia fazer sem problema algum. A senhora espantou-se e logo disse: Mas eu não tenho dinheiro para te pagar!!! E eu me assustei também porque eu não queria cobrar apenas ajudar e meu marido interviu na conversa dizendo que os estrangeiros tem essa peculiaridade de ajudar sem ver a quem e que eu já fazia isso com o meu sogro de também 80 anos. Sim, os japas não costumam se ajudar, porque cada um no seu bendito quadrado, claroooooo que há as exceções e são a minoria obviamente. Por fim eu e a titia tivemos um bom convívio e saíamos algumas vezes para almoçar, jantar não porque ela jantava as 5 da tarde e saia para a caminhada de 1 hora religiosamente todos os dias. Ela mudou-se para um outro Estado e minhas tardes de folga não foram mais as mesmas sem a minha vizinha. E antes de partir veio se despedir e pedir desculpas por qualquer incomodo causado.

Para quem fará reforma na casa também se deve pedir desculpas pelo transtorno e barulho. Já perceberam que pedir desculpas por aqui é a primeira coisa que se aprende desde pequeno, não somente pedir mas se desculpar realmente por causar algum transtorno a pessoa que mora ao lado ou para quem será incomodado. Os japoneses não têm o costumo de bater boca ou brigar, preferem o silêncio, engolir muitas vezes uma pessoa mal educada do que se expor a um bate boca. O desprezo é sempre a melhor arma. 


Manter a política da boa vizinha é levada ao pé da letra pelos japoneses, tipo eu não te incomodo e você não me incomoda.

E você ai, como se comporta em relação ao teu vizinho?

Quando a culpa é do consumidor

A imagem acima se refere ao e-mail que me foi enviado em 22 setembro 2017 pela eduK em resposta aos e-mails enviados em datas anter...