1 de maio de 2016

Viajar pelo Japão

Ponto de parada na rodovia paga/Imagem/Monica Maeda

Esta é uma parada para viajantes em uma das rodovias expressas com pedágio. Restaurantes, banheiros, máquinas de bebida, loja de conveniência etc. Fumantes para o lado de fora. 


Imagem/Monica Maeda


Em qualquer lugar que tenha um banheiro público com exceção dos parques, os banheiros não diferem com o da nossa casa em termos de limpeza e comodidade. Pela imagem acima podemos ver que trata-se de um acento sanitário com alguns botões que são eles: o de lavar o bumbum, lavar a .... e o de desligar. Para usar uma das opções deve-se sentar caso contrario não sai água porque o sensor avisa que tem alguém sentado querendo lavar as partes íntimas e se ele entender que não tem ninguém sentado não solta água. 

Para as mães que carregam crianças de colo ainda, a pior parte do passeio é ter que ir até um banheiro se estiver sózinha, e pensando nisto o país disponibilizou espaço e cadeira para as crianças como mostra a imagem abaixo.

Imagem/Monica Maeda


Temos também espaço reservado para cadeirantes, ninguém passa aperto na hora de fazer o número 1 ou o número 2, porque entende-se que a partir do momento que saímos de casa para uma jornada de passeio a única coisa que não podemos ter é stress nessas horas e como o Japão é um lugar relativamente pequeno em relação ao número de habitantes e temos mais idosos que jovens então o número de cadeirantes e/ou pessoas com deficiência de locomoção é maior, e os japoneses não tem férias de 30 dias sobre 12 meses trabalhados, o que temos são 3 feriados nacionais ( ano novo, semana dourada em maio e em agosto o obon que seria o dia de finados) que variam de 3 a 5 dias dependendo se cair no sábado ou domingo. Então nesses dias imaginem que todos saem de casa para ir quase ao mesmo lugar ao mesmo tempo visto a escassez de folga.


Necessidade fisiológica feita lavamos as mãos e secamos as mãos nas máquinas de secar as mãos que parece ter no Brasil e o li recentemente que alguns questionam a praticidade e veracidade desta máquina, parece que falam também sobre se esta tira os germes realmente. O mimimi de sempre, porque germes você deveria ter tirado quando lavou as mãos  e um papel toalha ou o vento não vai tirar sujeira não , o que acontece é que com o uso destas a sujeira que se faz com o uso de papel porque um vem e pegue uma folha, outro pega 3 porque achou pouco 1 e o lixo vai enchendo e ninguém vence limpar um lugar público a casa 2 minutos então dessa maneira economiza-se funcionário , papel, água, detergente, sacos de lixo e não tem que ficar desviando de vassoura na hora de entrar no banheiro.

E torneiras tem para qualquer tamanho, os cadeirantes ou crianças também tem a sua.

Imagem/Monica Maeda

Imagem/Monica Maeda



Mãos lavadas, barriga vazia vamos saborear a comida local e no caso de Aizuwakamatsu a carne de porco é uma das maravilhas e o prato se chama Aizumeibutsu Bandai Katsudon (会津名物 磐梯カツ丼)que consiste em arroz na parte debaixo e a carne de porco frita à milanesa com molho doce por cima, mas essa carne não é qualquer bisteca não, vem quase 300 gramas de carne e acompanha uma sopinha tipo missoshiro. E caso você não consiga comer tudo e queira levar para comer depois em casa o restaurante gentilmente já antecipando o pensamento do cliente em como levar para casa deixa nas mesas a embalagem e a sacola para quem quiser se servir e levar para casa e com isso poupa o funcionário de ter que levar teu prato para dentro e fazer o que você mesmo pode fazer e com isso não vem a dúvida de que será que colocaram mesmo a minha comida ou a comida de outro aqui? Será que este resto era o meu o da mesa ao lado? 

Seria um tipo Fai da te ( faça você mesmo). Lembrando que o Tonkatsu podemos saborear em qualquer parte do Japão e não é uma exclusividade de Fukushima e sim que o Tonkatsu deles tem um sabor e tamanho diferente dos normais.

Imagem/Monica Maeda
Imagem/Monica Maeda

Aqui vai a imagem do restaurante Jyuumon jiya (十文字屋) que eu recomendo para quem for a Fukushima e passar por Aizuwakamatsu, ele fica ao lado de Aizu Mura junto ao estacionamento. 

Imagem/Monica Maeda

Lembrando que a Coluna da Monica não ganha por fazer propaganda mas sim que coisas boas devem ser repassadas adiante, a boa fofoca nós apreciamos.













Quando a culpa é do consumidor

A imagem acima se refere ao e-mail que me foi enviado em 22 setembro 2017 pela eduK em resposta aos e-mails enviados em datas anter...