15 de abril de 2017

No Japão não há como se esconder

Coluna da Monica


Quando chamam no interfone vejo um policial com algo na mão e pede a gentileza de poder confirmar alguns dados dos moradores. Desço, pensando que meu marido havia acabado de sair para pegar o trem e agora um policial na minha porta. Confesso que pensei o pior.

Já fazia algum tempo que ele não aparecia, talvez tivesse vindo mas não havia ninguém em casa.Nem sempre é o mesmo mas é sempre bem vindo.

Sim, no Japão a polícia cuida dos seus e visita as casas dos moradores para confirmar informações dos moradores da casa como local de trabalho, telefone e número de pessoas que residem no endereço. Digamos que é o senso policial e por isso quando souberem de alguém que perdeu contato com a família basta procurar a prefeitura ou a polícia. A prefeitura porque é ela quem repassa informações para outros orgãos do país, mas também quando a família procura alguém que mora aqui e diz que não sabe onde esta, que a pessoa não atende telefone ou mudou telefone e endereço e perderam contato talvez seja porque a própria pessoa  não quer ser encontrada, muitos dos casos é assim. Mas a polícia sabe onde todos estão.

Educadamente se apresenta abre a pasta e pede para confirmar as informações, ele vai falando e eu vou dizendo se algo mudou ou não. Isto nos faz querer pagar o imposto anual em dia; caro mas vale a pena porque quando o contribuinte vê onde esta o dinheiro dado à cidade e percebe que esta sendo bem empregado e principalmente a seu favor.Não há argumentos para não fazê-lo. 

A visita não dura mais que 5 minutos, apenas para confirmar dados dos moradores e se despede com um muito obrigado! 

Quando a culpa é do consumidor

A imagem acima se refere ao e-mail que me foi enviado em 22 setembro 2017 pela eduK em resposta aos e-mails enviados em datas anter...