22 de setembro de 2017

Empresa pioneira em cursos profissionalizantes online faz renovação automática de assinatura sem consentimento dos assinantes




Especializada em oferecer cursos profissionalizantes online a eduK que tem como um dos fundadores Bernardinho o ex-técnico da Seleção Brasileira de Voleibol, deve enfrentar problemas jurídicos para ressarcir  os débitos nos cartões de crédito dos assinantes sem autorização dos mesmos. A empresa não há canais  para contato que não sejam as redes sociais e um e-mail com nome de meajuda@eduk.com.br no qual os assinantes reclamam de não receberem resposta. 

Há também o agravante de multa de 25% para quem cancelar o curso depois de passados 10 dias e como a resposta por parte da eduK não chega no prazo de 10 dias ela se vê no direito de cobrar a multa coagindo o assinante a pagar do que ter que ver o curso todo debitado no cartão de crédito.

O assinante reclama antes do período de 10 dias mas a empresa não atende suas mensagens por nenhum canal como vemos nas imagens abaixo.





Nas redes sociais já ultrapassam mil reclamações conforme estatística do site ReclameAqui e a porcentagem das reclamações diz que o problema é a renovação automática do curso usando os dados do cartão de crédito que foi solicitado na hora da inscrição, propaganda enganosa e não conseguir cancelar o curso.

Em uma das respostas a um assinante, a eduK assume que a renovação automática de assinatura consta nos termos de uso e que se quiser o assinante que cancele essa opção. Muitos assinantes não sabiam dessa obrigação de renovação automática porque antes existia a possibilidade na hora da renovação sempre escolher a opção de renovar ou não automaticamente e parece que nos últimos anos a empresa mudou os termos de uso não comunicando previamente os assinantes. 








Geralmente em qualquer situação de renovação de assinatura o cliente é avisado previamente que o contrato esta para vencer e pergunta se o mesmo quer continuar a assinar ou não e avisa que o débito será efetuado em data a posteriori. E o que ocorreu foi exatamente o contrário das normas legais e os clientes foram avisados depois que o débito foi efetuado sem dar a chance do cliente decidir por sim ou não visto que ele não sabia que a renovação seria automática e mais, os assinantes reclamam que mandam e-mail e a eduK não responde e não há outro canal de comunicação nem mesmo telefone para contato conforme imagens tiradas das redes sociais.




Parece que mesmo diante de ameaças por parte dos assinantes a eduK não se pronuncia e continua postando propaganda de cursos e vantagens na hora da compra dos cursos e quando respondem na rede social a resposta é automática dizendo que o cliente é quem deve se preocupar em desativar a opção renovação automática caso contrário continuará a ser debitado.

















Em alguns posts é possível ver que o Ministério Público de São Paulo foi marcado na esperança de que alguma autoridade possa fazer algo e resolver a questão do uso de informação confidencial sem autorização do cliente. É unânime por parte dos assinantes que eles não tinham conhecimento que no cadastro foi acionada a opção renovação automática pegando a todos de surpresa.




As pessoas continuam reclamando e pedindo solução mas a eduK continua com a postura de não atender e não criar um canal direto com telefone também para atendimento, mas criou uma postagem de que após 10 dias da assinatura quem pedir o cancelamento pagará multa. 

Os assinantes estão reclamando a partir do momento que tomaram conhecimento do débito e a empresa parece que esta ganhando tempo não respondendo e deixando  passar os 10 dias podendo assim cobrar a multa de 25%. 

E você ai também teve a renovação feita sem autorização prévia? Conseguiu resolver? Conte-nos!

Deixamos este espaço aberto para que a eduK possa se pronunciar a respeito e dar a sua versão.





Os vizinhos japoneses

Hoje a minha vizinha veio me presentear com doces como forma de pedido de desculpas caso o choro do seu neném me perturbe. É comum ...